Voltar

Administrar em tempos de crise

 
Nov/2008 - Por Rogério Rezende
 

Caros leitores e leitoras, como devemos administrar uma empresa, num mercado que oscila a cada virada de mês? Como sobreviver a atual recessão mundial?

Levando em conta a luz dos ensinamentos de Sérgio Diniz, do SEBRAE de São Paulo, do estrategista milenar Sun Tzu, autor da obra a Arte da Guerra, do renomado Max Weber, que nos presenteou no passado com a  Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo e do respeitável Maquiavel, autor do Príncipe, resumimos em síntese apertada, alguns cuidados que devem ser tomados:

Comprar bem. Adquirir mercadorias com especificações certas; em quantidades adequadas; de boa qualidade; por preços e condições competitivas.

Controlar os estoques para permitir o melhor giro e menor necessidade de imobilizar o capital de giro.

Produzir com qualidade e dentro da filosofia da excelência, que se caracteriza por: contínuo aperfeiçoamento; eliminação do desperdício; fazer as coisas certas da primeira vez; rápida preparação das máquinas e células de produção; envolvimento e comprometimento do pessoal; trabalho físico ou mental duro e constante;

Acompanhamento mensal dos diversos custos e despesas fixas da empresa para: identificar qualquer variação fora do normal que ocorra; ou a indicação de tendência de elevação de algum tipo de despesa, isto permite a tomada de decisão que evitem prejuízo do negócio e, também, o ajuste do preço de venda.

Manter um efetivo controle do fluxo de caixa para: permitir a análise da variação entre as contas a pagar e as contas a receber; análise dos respectivos movimentos ocorridos e que irão ocorrer no dinheiro da empresa.

Compatibilizar os prazos médios das compras e das vendas, para: evitar um desequilíbrio financeiro, que afete o fluxo de caixa e a necessidade de capital de giro.

Vender bem: obter as melhores condições de negociação junto aos clientes, de forma que atenda às necessidades deles quanto ao preço, prazo, condições de pagamento e pontualidade. E que esteja dentro dos padrões e limites suportáveis pela empresa. É importante também:  estar atento ao mercado; perceber o que fazem os concorrentes; saber que fazer promoções pode permitir melhor giro dos produtos, mesmo que com uma margem menor.

Rever constantemente o planejamento:  avaliando e revisando as metas; os objetivos; as estratégias;  transformar em oportunidades a serem exploradas, aquilo que pode ser uma crise para os seus concorrentes.

Enfim, ser flexível e aprender a se adaptar a um ambiente em contínua mudança, empregar métodos táticos para a infinidade coisas novas que estão por vir. Saber atacar e esperar. Pensar com clareza. Ter tempo para Deus, pois, são sempre aqueles que não cumprem com sua missão que não têm tempo para o Criador do Universo; e por fim é sempre bom ter assessoria empresarial advocatícia.