Voltar

A importância da inovação da Propriedade Intelectual no seu negócio.
SET/2011 - Por Rogério Antonio Rezende

 

Autor: Rogério Antonio Rezende
Co-autor: Poliana Aires Rocha Rezende

 

Leitor amigo, em tempos de acirrada competição global e temores de crise, o Brasil deve investir cada vez mais em inovação e propriedade intelectual (como por exemplo, registro de Marcas, de Patentes, dos Direitos Autorais, de Contrato de Tecnologia, de Desenho Industrial etc.). Para garantir uma posição plenamente competitiva para as empresas nacionais e as da nossa região não foge a regra devemos inovar.

Segundo Jorge Ávida, presidente do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), inovar não é, contudo, tarefa simples. Ela requer informação atualizada sobre os problemas e desafios enfrentados pelos consumidores, além de boa noção dos caminhos trilhados pelos concorrentes. Também requer investimento em pesquisa e no desenvolvimento de soluções que representem avanços superiores aos apresentados pelos concorrentes. E, então, é preciso converter em vendas reais, a preços compensadores, o risco e esforço de tal empreendimento.

Para haver investimento, é necessário haver garantias institucionais mínimas da capacidade de retenção dos benefícios que o investimento vai gerar. Há diferentes formas de retenção do valor gerado por investimentos de quaisquer naturezas. A elas se pode associar a designação geral de proteção dos direitos de propriedade. Quem investe na construção de edifícios, por exemplo, precisa ter certeza de que irá escriturar os imóveis que resultarem de seus investimentos e poderá, assim, transferir a propriedade para terceiros em troca de um preço justo ou exigir retribuições na forma de aluguéis de quem venha a utilizá-los sem adquiri-los.

A riqueza hoje em dia vem da transformação do conhecimento em produto, neste aspecto, a propriedade intelectual é essencial e pode ser um instrumento estratégico de fomento à inovação e à competitividade.

Mormente, o medo de errar é o principal obstáculo para a inovação nas empresas. Não obstante, a necessidade é a mãe da inovação. Inove! Inove! Inove! E terá blindado seu lucro.

Sobretudo, registrar a inovação, ou, inovar e registrar, é fundamental para assegurar que o investimento realizado não seja em vão. Para obter o registro da sua propriedade intelectual é necessário que se apresente um pedido ao órgão competente que o examinará com base nas normas legais. Em verdade leitor amigo, busque assessoria legal profissional capacitada a cuidar do seu patrimônio intelectual com profissionalismo e seriedade para que seus investimentos em inovação, seja na sua marca, em um invento ou modelo de negócio estejam seguros.


Dr. Rogério Antonio Rezende, Advogado sócio da firma de direitos Rezende Aires Advogados. Especialista em Direito Tributário e Empresarial.

rogerio@rezendeaires.com.br